domingo, 19 de outubro de 2014

Ajudar os filhos a estudar, estudar com eles, por eles ou deixar a liberdade total?

Sou daquelas mães exigentes que acha que a primeira obrigação dos filhos é estudar e ter boas notas pois é a única responsabilidade que têm.
No caso das MM. que andam na aeróbica de competição, têm agora a responsabilidade acrescida de não faltar os treinos, esforçarem-se e cumprirem os objectivos propostos pela treinadora.
Mas de facto sou exigente com as MM. (o F. ainda não anda escola) na escola.
A Mi é uma aluna brilhante, mas mesmo assim eu continuo a exigir muito dela e estudo com ela, ajudando-a. Por norma ela estuda e eu coloco as questões no fim para a apoiar e reforçar o estudo. Tenho vindo a libertá-la e cada vez mais a deixá-la a estudar sozinha e a questionar-se sozinha. Mas não consigo libertá-la na íntegra. Ela tem 10 anos apenas, as matérias são super extensas e acho que ainda é nova para saber distinguir o trio do joio. Por norma a Mi tenta saber todas as matérias da disciplina, porque ainda não sabe nem compreende o que pode sair. É isso que agora tento trabalhar com ela, a perceber o que é relevante e separá-lo do instrumental. Mas acho que o apoio dos pais é fundamental.
A Mg é uma boa aluna, ainda não brilhante por falta de auto-estima e insegurança, mas que actualmente está muito melhor depois de trabalhada este verão. Foi a minha missão de férias de Verão e acho que foi bem sucedida. A Mg reforçou a auto-estima, acredita mais em si e percebeu que consegue chegar longe. Isto foi fundamental para a escola. Tenho-a a companhado mais no estudo - pois já não está no ATL onde tinha um excelente acompanhamento - e vejo que progride a cada dia, tem vontade de aprender e de fazer as coisas bem. Mas não a liberto e talvez tenha de a libertar mais tarde pois precisa do meu apoio, precisa do meu reforço de credibilidade. Mas sem dúvida que precisa do meu apoio.
Há quem defenda que as crianças devem estudar sozinhas. Sim, até certo ponto.
Vejamos:
Quando os nossos filhos começaram a andar, deixámo-los sozinhos? Não me parece: apoiamos, estamos atentos a quedas para os segurar, e indicamos-lhes o caminho.
Quando os nossos filhos começam a comer, deixamo-los sozinhos? Não, ensinamos a comer, o que comer, como comer e quando comer.
Quando os nossos filhos começam a falar, deixamo-los sozinhos? Não, ensinamos as palavras, corrigimos, perguntamos, parabenizamos quando acertam e corrigimos quando falham.
Porquê então não os apoiar quando estudam? Não é uma aprendizagem como todas até aqui?
Entendo que si. Não devemos estudar pelos nossos filhos, mas devemos apoiar, perguntar, corrigir, completar e acima de tudo fazê-los sentir que nesta caminhada, como em todas as outras não estão sozinhos. Estamos com eles, atentos e dispostos a apoiar.
Como em tudo, acho que este é o meu papel de mãe e não não actuo de forma diferente nos estudos. Estou ao lado deles em tudo.
MAS, não castigo se uma nota vem pior, desde que se tenham esforçado. Já lhes disse que desde que estudem e se esforcem eu estou com elas, mesmo que tenham um azar nos testes. Agora a falta de estudo ou de esforço não perdoo. Aí podem ser castigadas - em regra ficando sem jogar computador.
Estas regras estão sabidas cá em casa e asseguro que as MM. se esforçam e estudam. Azares podem ter como todos, mas fazem o que devem. Assumem a responsabilidade da escola e a partir daí estou satisfeita!

2 comentários:

  1. Concordo totalmente contigo. As tuas meninas são responsáveis e boas alunas e isso deve-se muito à vossa postura e, claro, inteligência delas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que só assim faz sentido! É como as tuas MM.

      Eliminar